Connect with us

NOTÍCIAS

paiN Gaming processa Bak após descumprir pré-contrato, revela site

paiN processa Bak após descumprimento de pré-contrato

pian-processa-bak
Foto: Reprodução/Instagram

O jogador profissional de Free Fire, influenciador e CEO do Fluxo, Gabriel “Bak” Lessa, foi processado pela organização da paiN Gaming após descumprir pré-contrato, revelou o site do ge.

Em matéria do jornalista Gabriel Oliveira para o ge, revelou com exclusividade os detalhes de mais um processo envolvendo Bak, ex-loud, que também foi processado pela antiga organização.

Conforme as informações repassadas pelo site, Bak assinou um pré-contrato com a paiN Gaming, firmando um contrato com a mesma assim que o jogador saísse da LOUD.

Não foi oque aconteceu, já que Gabriel Lessa assinou contrato com Fluxo após deixar a verdinha, pegando a paiN de ‘surpresa’.

No processo judicial, a paiN Gaming exige que Bak revele quantos está ganhando no Fluxo, atual organização do jogador e influenciador de Free Fire. Isso porque, na assinatura do Memorando de Entendimentos previa que em caso de propostas de outras equipes, Bak deveria comunicar a paiN para que a organização tivesse a oportunidade de cobrir a oferta.

Como não aconteceu como exigido na cláusula do pré-contrato, a paiN Gaming exige 10% do valor recebido por Bak previstos no contrato que o mesmo assinou ao entrar no Fluxo.

A assessoria de Bak enviou uma nota ao ge, confira:

Em relação a este processo, não podemos nos manifestar porque ainda não tomamos ciência do mesmo. Mas já podemos esclarecer as questões envolvendo este memorando que é mencionado, onde o Gabriel, após comunicar oficialmente sua saída da LOUD, foi procurado não só pela Pain, mas por diversas equipes do cenário.

No caso da Pain, ele assinou este memorando de entendimentos (condição essencial exigida para a continuidade das conversas) mas o referido instrumento serviu apenas para amparar a discussão dos termos durante a negociação, que posteriormente deveriam ser formalizados e discutidos mais a fundo no contrato. Durante este período, o atleta deixou claro que sua escolha não estava baseada apenas no fator financeiro, porém as condições oferecidas pela Pain não favoreciam seus objetivos pessoais, como por exemplo a liberdade para projetos autorais, ponto determinante para avançar nas negociações. Com isso ele entendeu que os termos contratuais oferecidos não eram os que almejava para sua carreira. Sem acordo entre as partes, ele encerrou as negociações, seguindo seu caminho em direção a outra organização que atendesse suas necessidades profissionais.

Gabriel reforça que permanece íntegro aos seus princípios e sempre negociou dentro dos termos da boa-fé contratual e do bom relacionamento entre as partes, respeitando o período de negociações, e só iniciando novas conversas após encerrar as tratativas com a Pain.

Editor e autor chefe do Clube do Free Fire. A mais de dois anos trazendo as principais novidades do jogo. Amante de eSports, buscando trazer sempre inovação e melhorias em nosso site.

Facebook

Advertisement

VEJA MAIS

More in NOTÍCIAS